Dos 24 anos aos 25

  Mais um se foi e este foi, muito provavelmente, o ano com maior panóplia de emoções.

ytkyt.png

Os vinte e quatro

  O ano em que vivi a morte e morri na vida. O ano em que conquistei multidões e perdi troféus. O ano no qual mais de mim dei pela felicidade e mais recebi da tristeza. Um dos anos com mais emoções à flor da pele, umas esquecidas, outras demasiado recentes. O ano em que confirmei que quem quer perceber procura e quem não quer se manterá ignorante. O ano em que a validade do número 1 se revelou uma ilusão. O ano em que entendi que, independentemente do que digamos, existiram sempre os compreensivos e os intolerantes, os guerreiros e os submissos, os astutos e os vira-casacas. O ano em que passei demasiado tempo empoleirada na janela do meu sótão. O ano em que menos uso dei à minha imaginação e onde ela menos foi necessária. O ano de ideais irrealizáveis e de realidades idealizadas. O ano com mais começos e fins, o ano com mais meios de metades inacabadas. O ano dos acertos tardios e esperanças falsificadas. O ano dos convites indesejados e das vidas prematuras. O ano da ajuda sem esperar por trocadilhos.

6dd0f0095f22d280cd776e9ac8dad8cf.png

A transição

  O dia da transição foi provavelmente o dia que marcará a diferença de mais uma idade. Para quem não sabe, durante a minha infância, deixei de “festejar” o meu aniversário. Fui posta à prova pela vida diversas vezes e deixou de fazer sentido celebrar algo que muito pouco me passou a dizer. No entanto, sempre agradeci os “parabéns” e presentes mas nunca vi este dia como representativo de algo grandioso. No ano passado, a minha visão mudou ligeiramente e muito graças à stream. Durante este ano dos 24, o amadurecimento da stream – enquanto estive nisto a full-time – fez com que este dia se revelasse um quanto inesperado.

  Para além das pessoas de quem estaria à espera de enorme carinho, existiram outras das quais não estava a espera de algo mas que o famoso karma se encarregou de as trazer neste dia até à minha stream.

  Agradecimentos: psycokill , Ismael_ , markus_red , matchbeth99 , sniker2k16 , uPKiara , pilarino , sucredo , za1nster , r1pp3r69 , ishyzu , ReaLL , helena_santos e derps. Um agradecimento especial à ShadowBWolf por me ter enviado uma mensagem fofinha pelo instagram! 

advert.jpg

Os primeiros dias dos vinte e cinco

  O primeiro dia dos 25 anos para muitos é um dia de adaptação e este ano foi isso mesmo que aconteceu, adaptar-me a uma nova vida que me espera.

  Este ano começou com algumas mudanças as quais passo a explicar:

  •  Passados 6/7 anos sem conduzir, decidi voltar ao mundo dos volantes e rodas definitivamente. Como alguns de vocês sabem eu não gosto de conduzir e sempre usei transportes públicos mesmo com carta de condução e carro, ainda só peguei no carro uma vez mas terei de o usar pelo menos 5 vezes por semana o que me leva à explicação do porquê de ser necessário
  • Ontem fui contactada pela empresa onde estive a trabalhar como temporária durante 2 meses. Um dos funcionários abandonou o barco e lembraram-se de mim visto que, segundo eles, gostaram imenso do meu trabalho. Tendo em conta que o horário será a full-time – 9h às 18h – e perdia sensivelmente 1h30min em transportes, o carro facilitar-me-à em streamar durante o período noturno – este horário terá de ser aplicado após qualificador WESG que se realiza no final deste mês, até lá a stream será apenas quando não tiver treinos. O que é que isto significa? A stream vai passar para segundo plano, pelo menos enquanto não atingir a terceira decisão desta lista.
  • Quem segue a minha stream pode ver o donation goal que tenho de momento e entende que etapa é esta, mudança de casa. De momento vivo com a minha mãe, uma pessoa que não compreende o mundo do streaming como tantas outras, mas pior que não o entender e não ficar interessada pelo facto da felicidade que este mundo me trás. Nunca me recusei a trabalhar nos ditos “trabalhos normais” mas o meu coração mudou de rumo da primeira vez que pude ser streamar a full-time. As pessoas não sabem o quão gratificante é acordar e pensar “tenho de me despachar para streamar” e ligar o site da Twitch e observar que já há pessoas à espera que eu inicie a transmissão. Passando então à parte da frustração sempre que tenho de deixar o meu trabalho de sonho de lado por algo que não me é possível controlar. Deparamo-nos então com a questão do “ao fim do mês tens um salário certinho”, será que eu vou ficar rica a receber um salário mínimo ainda para mais a fazer algo que não me trás um pingo de satisfação? Será que essa infelicidade constante de me levantar para algo que não gosto e ainda ter de lá estar como se estivesse num paraíso compensa? Eu não preciso de dinheiro para atrocidades de concertos, nem para viagens de “sonho”, nem para ferraris ou palácios. Eu preciso de pouca quantidade monetária para ser feliz, mas preciso de fazer algo que eu goste e não que os outros me obriguem a fazer, como tal decidi começar a minha procura para que me possa mudar o quanto antes.

  Agradecimentos: TaniaCPL , buQQake , Andreia_Deda , frostzao , félix , busteryaya , furypow3r , R1pp3r69 , Miguelbatista1996

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Create a website or blog at WordPress.com

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: