2017 – Ano da Mudança

  2017 foi um ano representado maioritariamente pela palavra “mudança” e pela oscilação de emoções convertidas em diversas fases diferenciadas por níveis de estabilidade, ou falta dela.

  Tudo começou pela primeira passagem de ano significativa de há muitos anos para cá, desenrolando-se na partida da minha estimada gata de nome Tatá. Dei por terminada a fase laboral em que fiz parte da empresa Glassdrive e lancei-me temporariamente no mundo das transportadoras.

  O fim do meu relacionamento foi “alcançado”, juntamente com a minha saída da equipa que criei e pela qual lutei durante cerca de 2/3 anos. Nenhum desses términos foi realizado de forma positiva mas ambos me deram positivismo.

  Foi, muito provavelmente, o ano em que mais eventos e torneios frequentei e onde melhores resultados obtive.

  Começo sempre o ano com planos de iniciar uma novidade que queira projectar da minha cabeça para o exterior e tentei a minha sorte no mundo dos blogues. No entanto, não tinha bem definido o rumo que queria para o mesmo e, já mais para o fim do ano, com ideias mais estruturadas, surgiu este site/blogue.

  Pela primeira vez em 25 anos, participei nas compras do famoso dia Black Friday, apesar de o ter feito maioritariamente online.

  Foi o ano em que defini o que realmente queria para a minha vida a nível profissional.

  Posso também considerar que o ano foi representado por reviveres antigos, com as sagas “Salvador” e “Criatura” a reaparecerem na minha vida. Voltei a conduzir e por entre todas essas não vontades de estradas que queria recusar, foram-me recusadas duas amizades que não quis que evoluíssem para algo mais.

  Foi mais um ano de mitos e contas falsificadas com tentativas de pessoas desesperadas por atenção. O ano em que estive prestes a mudar a minha vida a nível de habitação, tendo esse desejo sido substituído pela mudança do quarto perseguidor que tanto refiro.

  O ano em que senti e vi que estava na altura de perceber que o que me tinha sido dito anteriormente era real e precisava mesmo de fazer o corte  de cabelo drástico que fiz.

  E, quando esperava que o ano tivesse chegado à fase de estagnação a nível de mudanças, o mundo assegurou-se de me mostrar que algo mais seria presenciado. Foi o ano em que encontrei um dos melhores, se não o melhor, homem que alguma vez conheci, escusado será dizer que essa saga continuará.

  Foi um ano cheio de altos e baixos, cheio de amores e desilusões, cheio de tristeza e felicidade. Foi o ano em que percebi mais um traço do que sou, uma pessoa ansiosa. Mas, principalmente, foi o ano em que percebi o motivo pelo qual sou invejada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a website or blog at WordPress.com

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: